16 marcas de Preenchedores de Ácido Hialurônico vendidas no Brasil – 2021

Quantas são as marcas de Preenchedores de Ácido Hialurônico vendidas no Brasil? Qual a capacidade do nosso mercado? Todas são boas? Como escolher a melhor?

Não são respostas rápidas nem simples, mesmo porque a cada dia novos produtos entram no mercado, cada um trazendo “novidades e inovações”. Só no ultimo ano, talvez ano e meio, tivemos 3 novos medicamentos entrando no Brasil e outros dois de saída..

Isso faz com que acompanhar as novidades fique sendo um trabalho árduo, então fizemos um levantamento com informações do que temos no mercado, e que pode guiar a escolha do produto por parte do profissional.

Separamos os medicamentos em algumas categorias para ajudar ao leitor:

  1. Marcas bastante estabelecidas, com literatura científica mais substancial e informações técnicas facilmente obtidas
  2. Marcas menos estabelecidas e com pouca literatura científica associada ou com informações técnicas inexistentes ou de difícil acesso
  3. Marcas que existem ainda em comercialização porém com registros junto à Anvisa caducados ou cancelados.

E para ser o mais imparcial possível, em cada categoria estamos listando os produtos  alfabeticamente, sem preferência ou destaque para nenhuma delas.

É bom o leitor entender também que quando falo “literatura científica” me refiro especificamente a publicações científicas em revistas internacionais com conhecido reconhecimento pela comunidade científica. Infelizmente o Brasil tem raras publicações que podem refletir segurança técnica nas publicações científicas, de modo que não são plenamente confiáveis em seus artigos.

Não considero útil ou correto basear estas informações científicas por opiniões de profissionais do tipo “eu uso e acho ótimo” ou ainda “uso e nunca tive nenhum problema”. Este tipo de opinião normalmente são oferecidas por speakers das empresas e são carregadas de tendências comerciais. Lembre-se que muito do sucesso do tratamento depende de conhecer o produto a ser utilizado.

E, acredite, muitos profissionais validam a adoção de determinado produto simplesmente ouvindo isso. Por esta lógica, uma empresa com muitos “formadores de opinião” dariam uma validade científica para algum produto ou medicamento sem sequer uma publicação “oficial”, o que é muito errado.

Fizemos até uma abordagem um tempo atrás sobre esta questão de uma “falsa validação científica” quando falamos sobre o tal peptídeo botulínico que entrou na moda porque a empresa passou a ter dezenas de “embaixadores” da marca.

Outro ponto importante: dizer que um medicamento tem poucos trabalhos científicos publicados não faz dele um produto ruim ou contra-indicado para uso em nossos pacientes. Mesmo porque todos os medicamentos listados aqui tem registro junto à ANVISA e tem o seu grau de segurança avaliado e validado. Assim, reafirmo: a divisão que realizei aqui é didática/técnica, sem viés comercial.

Além dos nomes comerciais, listamos também o fabricante, o processo de reticulação e ainda os tipos que usualmente refere-se às diferentes viscoelasticidades dos medicamento, mas que de modo algum deve ser entendido como a indicação clinica.

Optei por dar o nomes como “viscoelasticidade” ou classificar como géis “pesados/médios/leves” para as diferentes densidades dos géis por serem termos mais corriqueiros. Penso que assim a leitura fica mais dinâmica e menos tecnicista, mesmo sabendo que não são termos 100% adequados. A reologia é algo bastante complexo e não é alvo deste artigo.

Para esta indicação clinica mais precisa de cada produto e entender de fato tudo que há para conhecer sobre reticulação, recomendo a leitura do trabalho de conclusão de curso da Prof. Roberta Zaideman Azar, que coloca em contexto estas indicações clinicas da vasta maioria dos medicamentos listados a seguir.

Apesar de ter buscado informações atuais, posso ter errado ou omitido informações. Deste modo, peço ao colega leitor que, se encontrar alguma informação discrepante, erro, omissão ou qualquer situação semelhante fazendo com que o artigo esteja incompleto/incorreto, entre em contato e prontamente este artigo será revisto e corrigido, mantendo-se sempre atual.

Se você procura informações sobre um produto em especifico, fiz um acesso rápido a cada um dos produtos descritos aqui, em ordem alfabética:

1. Belotero ®
2. Biogelis® / Kirialys®
3. Cientific®
4. e.p.t.q.®
5. Hialurox®
6. Juvederm®
7. Perfectha®
8. Pluryal®
9. Rennova®
10. Restylane®
11. Revanesse®
12. Saypha®
13. Stylage®
14. Teosyal®
15. Varioderm®
16. Yvoire®

 

 

Marcas bem estabelecidas, com vasta literatura científica e informações técnicas acessíveis, listadas alfabeticamente:

Belotero®

Belotero®
As linhas da Belotero® que tem o processo de reticulação CPM®.

Fabricado pela Merz Aesthetics, uma empresa alemã e que tem um processo de reticulação chamado CPM®, abreviatura de Cohesive Polydensified Matrix® (matriz polidensificada coesiva, em português) e é um produto com defensores fiéis entre os profissionais do mercado.

É apresentado com quatro viscoelasticidades diferentes: Belotero Soft, Belotero Balance, Belotero Intense e Belotero Volume (do menos viscoelástico para o mais viscoelástico), com associação, ou não, da lidocaína.

 

 

e.p.t.q.®

Com um nome estranho para ouvidos acostumados com o português, o EPITIQUE (é assim que se pronuncia) é um produto de origem coreana do fabricante Jetema co. (que, aliás, tem muitos produtos interessantes para uso na harmonização facial).

E.P.T.Q.
Os produtos da E.P.T.Q. que temos no mercado e passam pelo “The 9 Process” para serem comercializados.

Epitique, ou e.p.t.q.® é uma aglutinação de duas palavras (lembra do colégio?) :  ‘Exquisite’ (em inglês, significa único, delicado)  ‘Technique’ (obviamente, significa técnica), então é um nome estranho que tem um significado curioso.

Não há um nome ou marca específica para o processo de reticulação, mas a empresa criou um termo chamado “The 9 Process“,  que associa os 9 fatores/propriedades mais importantes para o preenchimento facial, conforme o fabricante: composição, reticulação, segurança, densidade e extrusão da seringa, etc, obviamente eles nos informam que a linha toda do e.p.t.q. atende aos 9 pontos, né?

Também está disponível em 3 viscoelasticidades, do mais “leve” ao mais “pesado”: e.p.t.q. S 100, e.p.t.q. S 300 e e.p.t.q. S 500

 

Juvederm®

Hoje, penso, é a marca mais relevante no mercado. Não há empresa com tantos artigos publicados sobre preenchedores como tem a Allergan com toda a linha Juvederm.  Isso traz segurança para o profissional e paciente, e aí está o grande curinga da marca.

Juvederm Vycross®
Produtos da Juvederm que tem o processo Vycross® de reticulação

A Allergan desenvolveu um processo muito interessante de reticulação que se chama Vycross®, não usando somente o BDDE como reticulador, mas também cadeias de ácido hialurônico curtas e que formam uma malha de ótima durabilidade em tecido. Nesta linha,, do menos viscoelástico para o mais: Juvederm Volite,  Juvederm Volbella, Juvederm Volift e Juvederm Voluma, tendo um ainda acima deste, mais recente, chamado de Juvederm Volux indicado para aplicações supraperiosteais.

Juvederm Hylacross®
Pordutos da Juvederm que utilizam a reticulação Hylacross®

 

A empresa ainda mantém no Brasil, com o processo de reticulação anterior, o Hylacross®, os preenchedores Juvederm Ultra XC, Juvederm Ultra XC Plus, já que são produtos com muito tempo de mercado e preferência de muitos profissionais.

 

Perfectha®

Outra marca bastante conhecida por estas plagas foi desenvolvida pela Sinclair Pharma e é fabricada pelo laboratório francês ObvieLine. Curiosamente é um produto que não tem vergonha de se classificar como sendo Bifásico (como a Restylane, que até hoje se nega a confirmar que também o é), e justamente por isso tem grande capacidade de projeção de tecidos.

Perfectha®
Produtos disponíveis da Perfectha®

Ao contrário de outros laboratórios, não há um nome especifico para o processo de reticulação, e ele vem apresentado em várias visco-elasticidades (do mais denso para o meno denso): Perfectha Subskin, Perfectha Deep, Perfectha Derm e Perfectha FineLines.

 

Rennova®

Marca onipresente para os profissionais de Harmonização Orofacial, a Rennova tem se empenhado muito em se manter lider neste campo aqui no Brasil. Rennova é uma marca da Innovapharma, que é uma empresa inglesa, segundo informações oficias, mas que não consegui localizar exatamente a sede por lá.

Em compensação existe uma sede muito grande no Brasil e com um foco muito grande na venda para profissionais cirurgiões-dentistas (que são deixandos de lados por muitas outras empresas).

Curiosamente a Innovapharma não é um fabricante, ela utiliza de outros laboratórios para a produção de suas linhas de produto, um processo chamado outsourcing, muito comum fora do país. Isso dá agilidade para a empresa focar no mercado, deixando a parte técnica a cargo de empresas com know-how na área.

Rennova
Produtos da Rennova produzidos pela Croma Pharma

Isso se reflete nos preenchedores que são oferecidos com a marca. Os preenchedores Rennova Fill  e Rennova Lift são produzidas pela Croma, que é Austríaca (o mesmo fabricante do Saypha, que falaremos daqui a pouco) e utiliza a reticulação chamada XPM Tech®.

Já os preenchedores mais novos, que tem o nome de Rennova Skin , Rennova Deep  e Rennova Ultra Deep tem um processo de reticulação chamado  Hybrid MoBi® e é fabricado pela Luminera, um laboratório Israelense, recém adquirido pela Allergan e que fabrica o inovador HArmonyCa® (um produto que associa ácido Hialuronico com bioestimulador de colágeno à base de Hidroxiapatita de Cálcio)

Rennova
Produtos da Rennova® produzidos pela Luminera®

Eu posso estar enganado, mas estes 3 últimos produtos são comercializados fora do Brasil com o nome de Hydryalyx Gentle, Deep e Ultra Deep, mas não posso afirmar com certeza. De todo modo, tanto a Croma como a Luminera são empresas muito capazes no que oferecem e os produtos vem carregados com uma base científica bastante sólida.

 

Restylane®

Por muitos anos, Restylane® foi sinônimo de preenchimento facial. Tenho pacientes mais velhas que não pedem preenchimentos faciais, pedem para fazer um “restylane”, no melhor uso da metonímia.

E não é a toa, a Galderma é uma das gigantes da estética e também vários produtos excelentes como o bioestimulador Sculptra® e a toxina botulínica Dysport®.

Apesar da relação do laboratório não ser dos melhores com profissionais “não-médicos” (um termo meio ridículo cunhado pelos “médicos”), a adoção destes produtos pelos profissionais estão aumentando cada vez mais, justamente por praticarem valores atrativos e ótimo custo-benefício.

Restylane®
Antiga linha da Emervel® que hoje faz parte da Restylane®

Desde 2014 a Galderma® também passou a representar os preenchedores da Emervel (outro produto que surgiu em 2010 e foi muito bem aceito na comunidade médica), e hoje se fundiram em uma grande familia de preenchedores.

Os produtos originais Restylane®, do mais denso para o menos denso, são estes: RestylaneLyft , Restylane, Restylane Skinbooster Vital, Restylane Skinbooster Vital Light, todos com o processo de reticulação chamado NASHA® (Non-Animal Stabilised HA, ou Ácido hialurônico estabilizado não-animal)

Restylane®
Produtos originais da Restylane® e que estão no mercado há muitos anos.

Já os produtos da Emervel que foram absorvidos pela Restylane possuem o processo de reticulação chamado OBT® (Optimal Balance Technology, ou tecnologia de equilibrio ideal em uma tradução literal) e é representada pelo produtos Restylane Refyne, Restylane Volyme,  Restylane Fynesse, Restylane Defyne e Restylane Kysse.

Só a titulo de curiosidade, o termo Skinbooster é uma marca registrada da Galderma, e hoje, nos mesmos moldes do Restylane, é sinônimo de hidratação cutânea. Olha outra metonímia por aqui.

 

Revanesse®

Produzido pelo laboratório Prollenium Medical Tech, do Canadá, o Revanesse começou a ser comercializado no Brasil em 2010 pelo gigante laboratório Aché, e hoje conta com uma distribuição independente.

Com uma tecnologia de reticulação chamada Thixofix® (e que é um nome muito interessante, se você considerar o que é a Tixotropia e está no mercado com 4 densidadees: Revanesse, Revanesse Kiss, Revanesse Ultra e Revanesse Contour

Revanesse
Produtos com a reticulação Thixofix®

Um detalhe que o fabricante indica é que toda a linha Revanesse® tem uma quantidade muito baixa de BDDE residual, o que faz o produto ter baixo índice de reações depois de implantados, além de passar por um processo  específico de trituração de suas partículas, deixando-as uniformes e obtendo um gel mais homogêneo.

 

Saypha®

Conhecido anteriormente como PRINCESS, Saypha® é novo nome dos preenchedores da Croma Pharma, uma empresa austríaca e que tem boa penetração junto aos tais “não-médicos”. Já falamos do laboratório quando comentamos sobre as duas linhas do Rennova, anteriormente neste texto.

Princess
Antiga linha da Croma® chamava Princess®, hoje ainda tem locais que vendem estoque antigo com este nome.

Os produtos da Croma se apresentam com baixissimo BDDE residual, com índices muito abaixo do que o exigido, ou seja, baixíssimo risco de formação de edema ou qualquer reação alérgica e usa um processo de reticulação chamado MACRO®.

Saypha®
Nova linha Saypha®, que usam a reticulação Macro®

Quanto as viscoelasticidades disponíveis, do menos para o mais viscoelástico são: Saypha Filer, Saypha Volume, Saypha Volume Plus, com opções com lidocaina em cada uma destas linhas.

Há ainda um outro produto, o Saypha Rich, que não tem reticulação, sendo o ácido hialurônico somente estabilizado com glicerina, e que é indicado para processo de hidratação profunda.

 

Stylage®

Marca de mais um laboratório francês, Vivacy, a linha Stylage® tem uma nomenclatura muito curiosa para seus produtos (do menos denso para o mais denso), Stylage Hydro, Stylage S,  Stylage M, Stylage L, Stylage XL, Stylage XXL. Acho curioso e auto explicativos estes nomes, facilitando a escolha.

Stylage®
Os produtos da Stylage® tem fácil identificação para aplicação clinica.

Com excessão da linha Hydro, que não é reticulada, todas as outras passam por um processo chamado IPN-Like Technology® (InterPenetrated Networks, em uma tradução livre seria algo como tecnologia semelhante à redes interpenetradas, seja lá o que desejam transmitir com isso…)

Um detalhe interessante é que estes medicamentos são associados a Manitol ou Sorbitol para que atuem como anti-oxidantes, oferecendo um resultado mais completo.

Yvoire®

Presente desde 2010 no mercado asiático, este é dos últimos lançamentos no mercado nacional. O Yvoire é produzido pela LG Chem® (uma subsidiária da LG, aquela mesma que faz telefone, TV, etc) e distribuida por aqui pela Dermadream, que também tem o Botulift.

Yvoire
Produzido pela LG Chem®, foi uma das mais novas marcas a entrar no mercado brasileiro.

Com um processo de reticulação chamado HICE®, o Yvoire se apresenta como um “preenchedor bifásico que tem características monofásicas” e vem em 3 densidades: Yvoire Classic, Yvoire Volume e Yvoire Contour, também com a opção com lidocaína.

Curiosamente, foi a entrada da Yvoire no Brasil que começou uma mudança em como as empresas “provam” a efetividade de seus produtos. Antes, falava-se exclusivamente de G´ (ou G Prime) como a principal propriedade reológica do preenchedor, hoje, com o marketing da Yvoire falando em Tan δ (Tan Delta) as demais empresas estão adequando suas comunicações. Mas bem que se diga: Tan δ é um indice mais adequado para essa classificação, mesmo não sendo ainda o mais completo.


Marcas pouco estabelecidas,  literatura científica limitada e informações técnicas menos acessíveis, listadas alfabeticamente:

Biogelis® / Kirialys®

Eu tive uma surpresa quando descobri que é a linha de preenchimento de uma empresa com sede em Luxemburgo mas a produção é em uma fábrica brasileira, a Pharmaesthetics. Tem uma estrutura bem grande e entraram com tudo no mercado, mas não consegui achar informações mais técnicas destes produtos, por isso que está nesta parte do artigo.

Biogelis
As 3 linhas da Biogelis…

Seu processo de reticulação/fabricação chama-se DNE® (Dynamic Natural Effect), e vem apresentado em 3 densidades: Biogelis Fine Lines, Biogelis Global e Biogelis Volume. Em outra linha chamada Kirialys, com nomes parecidos: Kirialys Fine Lines, Kirialys Global e Kirialys Volume, e não há diferenças técnicas entre as duas familias de produtos, somente o publico. O Biogelis é direconada para não-médicos e o Kirialys é com foco em médicos. Estratégia de venda da empresa.

Kirialys
… e que parecem ser a mesma coisa que a linha Kirialys.

Uma coisa que achei interessante também é a seringa. Não é de vidro, é de um polimero semelhante ao policarbonato, com fixação do canhão da agulha em uma base fixa, evita a soltura do canhão.

Outro aspecto curioso é que a empresa tem um braço de venda com um publico alvo bem definido: cirurgiões-dentistas, tanto que os diretores comerciais se identificam como responsáveis pelo “segmento HOF”, e Harmonização Orofacial é da odontologia, né?

Cientific®

Uma marca que está por aqui há muitos anos, fabricada pela empresa argentina Futerman International, tem pouca representividade por aqui, e única informação que temos é que vem apresentado em 3 tipos: Científic 30, Científic 24 e Científic 18, em que estes números indicam a concentração de ácido hialurônico em cada seringa (30mg, 24 mg, 18 mg) e as suas viscoelasticidades.

Cientific®
Produtos da Cientific®, de origem argentina

Derma Hyal®

Se há um produto misterioso, é o DermaHyal, fabricado pela Oft Vision, empresa nacional. Vem com nomes que parecem concentrações: DermaHyal 1,4%, DermaHyal 2%, DermaHyal 3% e é tudo que é possível saber.

derma hyal
Nem sei o que colocar em legenda…

 

Hialurox®

Fabricado pela Termofrio, uma empresa de São Paulo, tem um produto que está no mercado há uns bons 8 anos, ficou um período desacreditado devido a problemas com alguns lotes de produtos lá por 2015, 2016, e última informação sobre isso que houve uma reformulação do produto e retomaram uma campanha mais forte com foco em dentistas há uns 2 anos ou pouco mais.

Hialurox
Hialurox® foi a primeira empresa nacional a fazer um preenchedor a base de ácido hialurônico

O produto é chamado de “Ácido Hialurônio reticulado de origem não animal”, que só por acaso tem a mesma tradução que o da Restylane, o NASHA®, e vem apresentado em, do mais leve para o mais pesado como Hialurox Ultra Soft, Hialurox Ultra Fine, Hialurox Ultra Fill,  Hialurox Ultra Lift.

 

Pluryal®

Se você está no mercado há algum tempo, teve ter recebido a informação de um produto para pele que era comparável com o NCTF® da Filorga® com um valor que era 50% menor. Este este produto era o Pluryal Booster, e teve alguma penetração no mercado.

Depois de um tempo, surgiram os preenchedores faciais. Produzido pela MD Skin Solutions, empresa de Luxemburgo, tem duas apresentações Pluryal Classic, Pluryal Volume. Não sabemos o processo de reticulação e as informações param por aí mesmo…

Pluryal
Os produtos da Pluryal®

 


Marcas com registro caducado/cancelados, mas que são possíveis se encontrar comercialmente:

Lembrando que estes produtos estavam legalizados previamente, e hoje devem deixar de ser utilizados justamente pelo registro estar irregular. Optei por listar aqui para informação caso algum profissional tenha recebido opções de compras.

Teosyal®

É fabricado pela Teoxane, um laboratório suíço muito grande e que patrocina com grande destaque eventos importantes como o IMCAS.

Por aqui, era um produto comercializado pela Cristália há muitos anos até que teve o cancelamento do seu registro junto à ANVISA em setembro de 2020. A empresa que o vendia também representa o Stylage®. Possivelmente foi uma estratégia comercial, e tenho certeza que deixou muitos profissionais orfãos pois contava com uma legião de adeptos.

Teosyal
Os produtos Teosyal® que tinham muitos fãs por aqui…

A linha de preenchedores de  ácido hialurônico Teosyal era composta por: Teosyal Global Action, Teosyal Touch Up, Teosyal First Lines, Teosyal Deep Lines, Teosyal Ultra Deep, Teosyal Kiss, Teosyal Meso, Teosyal Ultimate.

Varioderm®

Fabricada pela alemã Adoderm, estava no mercado até a entrada do Yvoire e teve o registro cancelado em dezembro de 2019. Tem um processo de reticulação chamado MPT (Monophasic Particle Technology) e curiosamente mostrava uma concentração baixíssima de ácido hialurônico em cada seringa e que era justificado por ter o “maior cross-link do mercado” (lembre-se que isso não reflete nenhum resultado clínico, nem positivo nem negativo, há muito o que considerar neste aspecto).

Era apresentado em várias densidades: Varioderm Fine lines, Varioderm Basic,  Varioderm Plus, Varioderm Subdermal,  Varioderm Lips & Médium

varioderm
Os produtos de origem alemã da Varioderm®

 

Acredito que tenha abrangido todos os produtos disponíveis no Brasil, e que sirva aos profissionais para orientar suas escolhas de preenchedores à base de ácido Hialurônico.

Para entender e completar este artigo, sugerimos outros conteúdos deste blog. Aqui você encontra um infográfico que dá um norte na escolha dos produtos/marcas de acordo com a área a ser tratada.

E por fim, sugerimos a leitura do TCC da profa. Roberta Zaideman Azar, que fala detalhadamente sobre os processos de reticulação, a reologia dos produtos e principais indicações clínicas.

Por enquanto é só!



Citação

Se você for utilizar este artigo para citar em alguma monografia, TCC ou qualquer outra publicação, utilize este formato:

Velasco, Rogério Gonçalves. 16 marcas de Preenchedores de Ácido Hialurônico vendidas no Brasil , São Paulo, 1 de outubro de 2021. Disponível em: <https://institutovelasco.com.br/17-marcas-de-preenchedores-de-acido-hialuronico-vendidas-no-brasil-2021/>. Acesso em: XXXXX – Preencha com a data de consulta. 

Deste modo, garante que os próximos a consultarem esta página terão as informações mais atualizadas possíveis.


Publicado por:
Mestre em Medicina/Cirurgia de Cabeça e Pescoço, Especialista em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial, Prótese Dentária, Prótese Bucomaxilofacial e em Harmonização Orofacial. Coordenador de cursos em Implantodontia e Harmonização Orofacial do Instituto Velasco, Diretor do Hospital da Face