comunicacao-pacientes

A importância da comunicação com os pacientes

O profissional de odontologia precisa manter uma relação de confiança com seus pacientes e para tanto, necessita estabelecer uma comunicação honesta e eficiente. O ideal é identificar se o paciente possui algum tipo de bloqueio ou trauma do passado que possa interferir na assiduidade de suas visitas ao consultório ou ainda, que possa prejudicar o bom andamento do tratamento a ser realizado.

Para garantir uma melhor interação e ajudar a evitar algumas barreiras para uma boa comunicação com os seus pacientes, confira os principais pontos a serem levados em consideração:

Conheça o seu paciente

Procure conhecer cada um de seus pacientes. Devido a correria diária, muitas vezes as conexões entre os profissionais e seus pacientes acabam ficando comprometidas. Por isso, esclareça todas as dúvidas que surgirem, demonstre interesse no ponto de vista deles e crie boas condições de comunicação para que se estabeleça uma relação de confiança e segurança.

Pense antes de falar e silencie quando necessário

Deixe que o paciente exponha suas ideias, procure entender o que ele pensa, o que ele quer, o que ele espera do tratamento etc. Principalmente, em uma primeira consulta, pois todo mundo gosta de atenção e de se sentir acolhido.

O uso adequado do silêncio também pode ser uma arma poderosa para momentos conflituosos. Quando o conflito é inevitável, utilize a técnica do “silencio incômodo”, que vai permitir analisar todo o contexto da discussão e depois contra-argumentar de forma coerente e objetiva, o que pode resolver o conflito por si só.

Oriente as discussões

A comunicação deve ser sempre guiada e orientada pelo profissional, assim a conversa será produtiva e informativa, e não apenas um bate-papo sem relevância. Porém, preste atenção em seu paciente, observe se ele deseja ressaltar algo ou se tem alguma dúvida para que você possa esclarecer.

Previna conflitos

Evite as generalizações e as ideias pré-concebidas, elas podem causar mal entendidos ou conflitos e impedem uma comunicação de qualidade com os seus pacientes.

Procure expandir sua empatia

Procure se colocar no lugar do paciente, isso contribui para uma abordagem de comunicação mais eficaz. O segredo é aprender a observar o paciente e prestar atenção também ao que ele não diz, mas está expressamente claro mediante a sua postura e linguagem não-verbal.

Mostre seu conhecimento

Um paciente sente-se seguro com um profissional que consegue demonstrar sua autoridade no assunto mas não de forma impositiva, então exercer a autoridade não é simplesmente mandar, é orientar e explicar porque a forma como você está planejando e agindo é mais correta e coerente do que como ele “quer” o tratamento.

Hoje não é incomum encontrarmos clientes que fizeram “graduação de odontologia no Google” ou que fizeram “pós-graduação em Medicina assistindo Grey´s Anatomy“, e já vem toda a informação e planejamento prontos, querendo somente uma “cotação de valores”.

Evite conflito e apresente os fatos, o que é correto e porque é desta forma que você precisa agir para atender os objetivos do paciente.

Aprenda a superar objeções

Se você desenvolve um plano de tratamento para o paciente na fase inicial e já responde por antecipação os seus principais questionamentos como, o tempo necessário, o custo, os inconvenientes, o período de repouso ou qual será sua aparência durante e após os cuidados, a possibilidade de superar as objeções é muito maior.

Melhore a sua relação com o dinheiro

Você profissional de odontologia, precisa ter a capacidade de transformar o seu consultório em um negócio economicamente viável, mas para isso precisa se adaptar as mudanças no mercado. Expandindo a comunicação e criando planos de financiamento equitativos, visando sempre a qualidade. Suas taxas devem ser justificadas pela qualidade do seu serviço.


Publicado por:
Mestre em Medicina/Cirurgia de Cabeça e Pescoço, Especialista em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial, Prótese Dentária, Prótese Bucomaxilofacial e em Harmonização Orofacial. Coordenador de cursos em Implantodontia e Harmonização Orofacial do Instituto Velasco, Diretor do Hospital da Face