Proporções Faciais e Unidades Estéticas

Proporções Faciais e Unidades Estéticas

Seria pretensioso demais, e absolutamente incompleto, apresentar todas as proporções faciais e aplicadas a cada fenotipo existente, mas podemos falar das principais e de suas alterações, pelo menos o que vai guiar os tratamentos com preenchedores. Temos muitos conteúdos disponiveis para isso, e durante todo proximo mês vamos voltar neste assunto diversas vezes.

Regra dos Terços

Praticamente um consenso é que a forma mais simples de análise e que permite avaliar se as proporções estão proximas de um ideal clínico.

regra dos terços faciais
Regra dos terços faciais se aplica tanto à face completa como ao terço inferior

Essencialmente indica que o terço superior, médio e inferior devem ter uma mesma medida. Há alguns trabalhos que mostram até medidas ideias, eu particularmente não gosto de usar medidas como referência pois há muitos tamanhos de pessoas, de cranios e uma grande variedade de raças e/ou etnias (estes dois termos não indicam a realidade, o ideal é se referir em variações fenotípicas entre pessoas, e é o termo que vou usar a partir de agora.)

E o mesmo vale para o terço inferior, se separado em terços, indica o posicionamento ideal do lábio em relação ao mento. Esta proporção é interessante sobretudo nos casos de lip lift.

Existem variações nestes aspecto também, por exemplo nos orientais, em que o terço inferior pode ser 20% menor que os outros dois, até mesmo pela característica fenotípica da prevalência de Braquicefálicos. Já nos ocidentais, via de regra, são os Dolicocefálicos.

proporções faciais em orientais
Orientais podem ter maior tolerância nas proporções do terço inferior

Regra dos Quintos

Neste caso, as distâncias entre as linhas horizontais traçadas em extremidade do Tragus, exocântios e endocântios devem ser proporcionais. Estes traçados também auxiliam em avaliar a largura da base nasal, largura labial e verificar assimetrias entre hemifaces. Mas um detalhe importante é que esta avaliação completa só é possível em fotografias por conta da linha mais lateral, do Tragus.

regra dos quintos faciais
A regra dos quintos faciais faz a análise horizontal das proporções.

Em uma situação clínica, podemos simplificar e replicar as distâncias de exocântio-endocântio que deve ser igual do lado oposto e também igual a distância entre endocântio-endocântio. Neste caso, não avaliaríamos a porção mais lateral da face.

As proporções intercantais discrepantes podem inclusive ser características associadas a diversas síndromes como Crouzon, Apert ou mesmo relacionados ao especto autista. Estas alterações levam o nome de Hipertelorismo.

Mas não é uma regra estas alterações. Vide uma atriz que está muito comentada por suas boas atuações e que tem estas características: Anya Taylor-Joy

hipertelorismo
É perceptível o aumento da distancia intecantal, não é? E que não muda em relação à beleza facial que ela apresenta.

Há também a possibilidade de avaliar das distâncias transversais e compará-las às verticais. Aqui não existe uma proporção exata, mas sim uma “faixa de tolerância” entre as medidas. Proporções que fogem desta faixa devem ser analisadas individualmente.

Neste caso, mensura-se o comprimento facial (distância entre pontos Trichio e Mentual, com posição mandibular em repouso) e compara-se com as distâncias fronto-temporais, bizigomáticos e bigoníacas.

regra dos terços faciais
Regra dos terços faciais se aplica tanto à face completa como ao terço inferior

Neste contexto, para exemplificar (vou usar números cheios para facilitar):

Se a distância trichio-mento é de 20 cm, a distância bizigomática deve ser entre 14 e 15 cm, a distância fronto-temporal deve ficar entre 16 e 17 cm e a bigoníaca entre 14 e 15 cm.

Isso indica, por exemplo, um limite para definição da largura mandibular. Se não forem observadas estas proporções, há uma chance grande de criar uma estética do exagero, como é o caso do DJ Alok que deu uma calibrada em contorno mandibular e no final parece que é um pós-operatório de remoção de um 3º molar incluso ou da modelo que conta “vantagem” de ter o maior malar do mundo…

alok
Ô loco, Alok, errou a mão ai…
malar gigante
Será que altera a aerodinâmica na hora de andar de bicicleta?

Buscar resultados mais naturais demanda um planejamento baseado em medidas e proporções, e é essa a chave para iniciar os trabalhos de preenchimento.

Estas informações completadas com os aspectos da anatomia facial permitem abordagens seguras para volumizar todas as áreas de interesse para equilibrar as proporções.

Leitura Complementar


Publicado por:
Mestre em Medicina/Cirurgia de Cabeça e Pescoço, Especialista em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial, Prótese Dentária, Prótese Bucomaxilofacial e em Harmonização Orofacial. Coordenador de cursos em Implantodontia e Harmonização Orofacial do Instituto Velasco, Diretor do Hospital da Face. Trabalha desde 2011 em harmonização facial.