Redução Enzimática versus Lipoaspiração Mecânica Submentual: qual escolher?

Redução Enzimática versus Lipoaspiração Mecânica Submentual: qual escolher?

Esta ultima semana foi polêmica e é o terceiro e ultimo artigo da série para explicar o que tem que ser explicado sobre lipoaspiração.

No primeiro, falei sobre o fato em si e a co-responsabilidade dos órgãos de classe no que aconteceu. No segundo, falei sobre anatomia, pelo menos para esclarecer o que acontece e porque aconteceu aquela complicação severa no tratamento com lipoaspiração mecânica.

E agora vamos pensar nas principais alternativas de tratamento para a região submentual.

Um dos maiores vilões de um rosto bem delineado e definido é a região do contorno de mandíbula e pescoço. Papada, gogó, queixo duplo, peru, pelanca… Tantos nomes carinhosos já ouvi de pacientes para explicar o quanto aquela gordurinha submentual o incomodava e o que poderiam fazer para resolver esse trauma, e a resposta era clara: lipo de papada. Mas tem diferenças e é disso que falaremos aqui.

 

Em função da ptose dos tecidos, flacidez, idade, genética e peso, um acúmulo de gordura pode começar a se formar no pescoço, tornando-o mais volumoso e/ou flácido, com pregas. Mas não dá pra pensar em tratar sempre da mesma forma.

lift facial cirúrgico
Um exemplo de situação clínica que só pode ser tratada cirurgicamente com um lift cirúrgico.

Em situações de excesso de pele, só há uma alternativa: cirurgia plástica, e que deve ser realizado exclusivamente por um médico devidamente habilitado. Mas esta não é a única forma de tratar quando a causa do queixo-duplo for por acumulo de gordura, e aí que começaremos a discussão pois para acúmulos de gordura, podemos lançar mão de duas técnicas na Harmonização Facial (que muitas vezes se completam como veremos a seguir)

A Lipoaspiração Mecânica Submentual ou a “lipo de papada aspirativa”

A lipoaspiração Submentual com técnica tumescente, como o nome diz, é um procedimento que consiste na aspiração da gordura localizada no pescoço, sob o queixo e na mandíbula com o uso de cânulas especiais, à maneira do que é feito no resto do corpo.

O procedimento pode ser realizado com anestesia local e o tempo de recuperação costuma ser pequeno, poucos dias de desconforto mas com 4 semanas de uso de faixas compressivas locais. Usualmente não leva mais que 1 hora e o paciente tem alta em pouco tempo, fazendo seu repouso em casa.

É um procedimento mais restrito quando aos profissionais que o realizam (médicos e cirurgiões-dentistas). E como toda cirurgia, não é um procedimento isento de riscos, mas quando feito com alguém habilitado, os riscos são aceitáveis e os resultados podem ser vistos de forma permanente tão logo o inchaço da cirurgia desapareça.

Uma das vantagens é que em um único procedimento o resultado é obtido de forma permanente (aliás, só se  houver grande variação de peso do paciente pode ter uma “reincidiva”, caso contrário o efeito perdurará).

lipoaspiração submentual
Situação clínica em que a indicação tanto da lipoaspiração mecânica como a enzimática pode ser aplicada.

“Lipo enzimática de papada” ou o Afinamento Facial ou Emagrecimento Facial

Eu particularmente gosto desta técnica, mas o paciente tem que ter um pouco de paciência para obter os resultados.

Pode ser considerado um procedimento minimamente invasivo, ou seja, sem corte, e essencialmente consiste na aplicação de microinjeções na região da gordura submentual as quais ajudam a reduzir o volume gorduroso da região (ou mesmo aplicado nos compartimentos de gordura faciais, daí o nome que damos aqui: Afinamento Facial, já que o efeito pode ser obtido além do pescoço).

Em outras palavras, as microinjeções lisam/destroem sobretudo as células adiposas ao redor do pescoço ou nos compartimentos de gorduras. Daí o nome “enzimático” apesar do medicamento que utilizamos não ser uma enzima oficialmente, é um surfactante, ou detergente.

A substância utilizada para o procedimento é o ácido deoxicólico, que é produzida naturalmente pelo organismo com o objetivo de auxiliar a digestão de gorduras mas que nesse tratamento, sua principal função é romper as membranas das células adiposas, o que provoca a destruição definitiva e consequentemente um emagrecimento local.

É muito segura, com riscos baixíssimos quando comparadas com os procedimentos cirúrgicos, porém para alcançar resultados eficazes, são necessárias de 4 a 6 sessões com intervalos de 30 dias entre as aplicações, para que a região tenha tempo suficiente para desinchar e se reparar.

Desse modo, o resultado final não é imediato, porém, é possível perceber os efeitos a partir da primeira sessão. Há uma vantagem em relação à técnica cirúrgica que é um baixíssimo risco de complicações (mas não isentos de riscos) e uma aspecto interessante é que não causa flacidez porque no local em que houve a adipólise (que é o nome correto da técnica) forma um tecido de colágeno que mantém tudo mais estável e no lugar

Justamente por ser pouco invasivo, pode ser realizada por médicos, cirurgiões dentistas, biomédicos, farmacêuticos entre outras áreas que podem utilizar injetáveis na Harmonização Facial ou orofacial, desde que tenham realizado cursos de capacitação e aperfeiçoamento nesta técnica.

Um aspecto interessante é que o afinamento pode ser feito em pacientes que passaram pela lipoaspiração mecânica como um complemento de técnica, ou refinamento de resultados. Então acaba sendo bastante versátil da técnica.

Qual é a melhor?

Esta é uma resposta que não é nada simples de ser respondida pois as duas técnicas são efetivas.

Deve-se analisar isso em relação às expectativas e prazos que o paciente deseja, o quanto ele quer realizar o procedimento e mesmo recursos financeiros.

Penso que com este artigo encerramos, no momento, este tema polêmico. Aproveite e conheça todas nossas postagens aqui no Blog!


Publicado por:
Mestre em Medicina/Cirurgia de Cabeça e Pescoço, Especialista em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial, Prótese Dentária, Prótese Bucomaxilofacial e em Harmonização Orofacial. Coordenador de cursos em Implantodontia e Harmonização Orofacial do Instituto Velasco, Diretor do Hospital da Face