Snapchat Dysmorphia, a dismorfia facial dos nossos tempos…

Snapchat Dysmorphia, a dismorfia facial dos nossos tempos…

Você deve ter, em algum momento, ter usado algum filtro fotográfico.

Dentro do Instagram, muuuuuito tempo atrás, falar em filtro era pensar em mudar tons das fotos, deixar em tons sepia, preto e branco, com uma cara de foto antiga, não é?

Com a evolução dos smartphones, dos aplicativos, começou a existir filtros mais elaborados, associados com inteligência artificial e que conseguem de forma instantânea alterar fotos e até vídeos.

Quem nunca?

E um dos pioneiro nisso, ainda em tom de brincadeira, era o Snapchat. Uma das redes sociais que surgiu pra divertir com seus efeitos bizarros e engraçados. Até que começaram a levar muito a sério o uso dos filtros…

E aí surgiu um problema. Dos grandes.

Há uns 8-10 meses veio uma paciente buscando um tratamento para fazer um lift de sobrancelha. Até aí tudo bem… Procedimento explicado, que seria algo permanente mas não definitivo (porque fazemos com fios de sutura em nylon), que era um procedimento relativamente simples, o pós operatório era assim, assado, etc.

Quando chega o dia que iria fazer o procedimento, e a paciente, fala exatamente assim:

“Doutor… deixa te mostrar uma coisa… (daí saca o celular e busca umas fotos)… quando eu tiro foto pro Instagram, eu sempre uso esse filtro. Tá vendo? É assim que eu quero minha sobrancelha, tá? Tá vendo que ela fica com esse formato assim? Então. É isso que eu quero!”

Aí temos um problema. Dos grandes. Isso é um sinal de uma patologia que surgiu junto com os filtros e que tem um nome bem preciso: Snapschat Dysmorphia, ou Selfie Dysmorphia.

Antes de continuar a ler, quero que vocês assistam a um vídeo da Maria Bopp, atriz que encarna a Blogueirinha do Fim do Mundo:

Mas isso que descrevi acima é cada vez mais comum dentro da Harmonização Facial e Cirurgia Plástica, não foi essa paciente, mas sim MUITOS pacientes que se apresentam assim. Buscam algo impossível de se ter na vida real.

E cabe aos profissionais colocar na balança se vale ou não buscar essa beleza artificial, sintética. Eu penso que a harmonização, como o nome diz, é fazer as “partes se conversarem”.

“Você harmoniza Vinho com queijo, Cerveja com carne para que os sabores se completem.”

Na harmonização não pode ser diferente. Ela não é para TRANSFORMAR um rosto, é para fazer as partes se conversarem. Para transformar, existe a cirurgia plástica.

E é essa a abordagem de uma parte do MD Codes chamada MD Asa, abreviatura para Multi-Dimensional Aesthetic Scan Assessment.

Ou em bom português…

Avaliação de Varredura Estética Multidimensional. Provavelmente você não deve ter ouvido falar disso, e é compreensível porque fizeram uma “redução” do MD Codes falando que eram pontos de aplicação de preenchedores.

No MD Asa a face é interpretada como um livro, tal qual lemos um livro, criando-se uma hierarquia de análises:

  • H1 – Visão completa da face. É como se olha um livro, vê-se a capa e se há algo que pode ser adequado dentro de um contexto estético, qual mensagem que o paciente entrega. Um aspecto cansado, tristeza, cara de bravo….
  • H2 – É uma visão com mensurações dos terços faciais. Proporções e simetrias são analisadas. São como os capítulos do livro.
  • H3 – Como o paciente responde com sua mímica, sua expressão. São os parágrafos contidos no livro.
  • H4 – São as Frases dentro de um parágrafo, o que o paciente PRECISA que seja adequado para um resultado final.
  • H5 – As palavras. Ou as distrações que o paciente vê.

Em um resumo bem resumido, seria algo assim:

O paciente vê um “bigode chinês” (H5), mas ele precisa de uma reestruturação em malar e têmpora por exemplo para que o tratamento do nasolabial seja duradouro (H4), Nestas regiões, em mímica, surgem alterações em volumes que também precisam de correção (H3), e talvez mais de um lado do que outro, para corrigir pequena assimetria (H2). E ao finalizar o tratamento, o todo (H1) vai estar dentro dos parâmetros estéticos adequados.

Veja que em nenhum momento se fala em mudar, transformar. Tudo está relacionado a uma melhora da auto estima.

E é importante ver que muitos profissionais estão passando das contas, e é isso que falamos aqui:

Leitura complementar


Publicado por:
Mestre em Medicina/Cirurgia de Cabeça e Pescoço, Especialista em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial, Prótese Dentária, Prótese Bucomaxilofacial e em Harmonização Orofacial. Coordenador de cursos em Implantodontia e Harmonização Orofacial do Instituto Velasco, Diretor do Hospital da Face. Trabalha desde 2011 em harmonização facial.