Agonistas, Antagonistas, Sinérgicos, toxina botulínica

Ptose… Evitando as Principais Complicações da Toxina Botulínica!!

Antes de falar em ptose, você tem que entender o que são músculos agonistas, antagonistas e sinérgicos.  Então vamos contar uma história…

Ágon era uma da entidades que, na mitologia Grega, que personificava os desafios e disputas como as que aconteciam nos Jogos Olímpicos, nas peças teatrais e também nos debates e discussões filosóficas.

Ou seja, se tinha alguma “briga” em pauta, era a esta entidade que estaria “mediando” a disputa.

No teatro grego clássico existe um “combate verbal” que organiza toda a base para a ação da peça. Deste modo, a primeira personagem a falar era chamada de proto agonistés, origem da palavra  protagonista. Ou seja, o protagonista é a personagem mais importante da história, em torno do qual se constrói a trama.

Existiam ainda os Agonistés, pessoas que se dedicavam a ginásticas, lutas  e fortalecimento físico, e que entrariam em disputas nos Jogos olímpicos e guerras.

Só curiosidade: o clássico do cinema Sansão e Dalila (de 1949) foi livremente baseado de uma peça chamada Samson Agonistes, de John Milton publicada em 1671.  Esta peça foi traduzida em muitos países simplesmente como “Sansão, o Campeão” ou “o combatente”. Se você lembrar do filme, Sansão era bastante forte, não? Era, portanto, um Agonista.

Hoje, distante do politeísmo grego, o termo agonista ganhou novos contornos:

Na farmacodinâmica, por exemplo, é chamada de agonista uma substância química que interage com um receptor de membrana celular,  e que pode aumentar ou diminuir a atividade celular a qual este receptor está associado..

Na Harmonização Facial (e na ortopedia, em outras áreas que lidam com músculos) podemos utilizar esta terminologia para explicar os movimentos musculares faciais e orientar nosso planejamento na hora de tratar um paciente com toxina botulínica. Vamos lá?

Músculos Agonistas e Sinérgicos

Chamamos de Agonistas os músculos que irão realizar o movimento principal. Por exemplo: quero elevar a fronte, portanto o Venter Frontalis do músculo Occipitofrontalis é o Agonista desta ação.

Em alguns casos, os músculos agem sozinhos, como no exemplo acima, e fica mais simples entender. Mas e quando o movimento exige mais do que um único músculo para que ele seja completado?

Pedimos para um paciente fazer a cara de “Bravo”, neste caso é um grupo muscular que agem em sincronia. Os músculos Supercilii Corrugator e o Procerus e até um tantinho do Orbicularis Oculi agem para aproximar e deprimir a região de glabela. Nesta situação, podemos dizer que os Supercilii Corrugator são os músculos agonistas, e os demais atuam simultaneamente a eles, portanto são os músculos sinérgicos.

Pelo dicionário, Sinergia significa ação ou esforço simultâneos, cooperação, coesão; trabalho ou operação associados. Então fica fácil de entender, né?

Músculos Antagonistas

Aí parece meio obvio: “anti-agonista”, ou seja, que faz o papel de opositor ao musculo em atuação. Normalmente, para que o movimento fique mais suave, enquanto o agonista trabalha, o antagonista está em repouso.

No exemplo que estamos usando, o Venter Frontalis do Occipitofrontalis é o antagonista dos Supercilii Corrugator e Procerus quando estes estão em ação para provocar a “cara de bravo”. Já em uma expressão de espanto, o papel se inverte: o Venter Frontalis do Occipitofrontalis  é o agonista enquanto os Supercilii Corrugator, Procerus e Orbicularis Oculi são os antagonistas.

Agora… entendidas estas questões, vamos discutir os principais problemas com o uso da toxina botulínica. E preparamos uma série com 5 videos todos detalhados sobre ptoses, as mais temidas complicações da Toxina Botulínica...

Ptose de Sobrancelha

Pouco conhecida, até mesmo pouco estudada, a ptose acontece quando se bloqueia em excesso o movimento do músculo frontal:

Como complemento a esta aula, você também pode saber como conseguir a elevação de sobrancelha usando a toxina botulínica. Ao paralisar os músculos que deprimem a sobrancelha,  nós conseguimos fazer com que seu antagonista eleve a mesma. Explicamos isso detalhadamente em outro artigo neste blog, que ensina detalhadamente como fazer a aplicação da toxina botulínica para arquear ou elevar a sobrancelha.

Ah, e tem outra:  lá você consegue inclusive baixar um eBook que preparamos sobre o tema, ou pode ir direto pro Play e baixar este conteúdo. É gratuito, mas só para os inscritos.

Ptose dos Músculos Zigomático Maior e Menor

Imaginou fazer toxina em região dos olhos e fazer com que seu sorriso seja alterado? Pois então é isto que explicamos nesta 2a. parte:

Ptose Palpebral

A ptose mais temida! Explicada em detalhes:

Ptose do Sorriso

Sobrou até pros dentes da frente…

“Ptose” do Depressor do Lábio inferior

Tecnicamente, não é uma ptose, mas que culpa temos nós se o músculo resolve “cair pra cima”? Se não entendeu nada, explicamos em detalhes:

Se ainda assim você teve problemas no tratamento com toxina botulínica, sugerimos duas coisas:

  1. Aprenda a fazer toxina do jeito certo. Nosso curso é o caminho, clique aqui para conhecer mais.
  2. Entenda o que houve de errado assistindo nossa última aula deste artigo:

Fiz toxina botulínica e deu ruim! E agora?

Uma boa parte dos problemas, ou complicações no uso da Toxina Botulínica vem deste desconhecimento dos músculos agonistas e antagonistas. E Normalmente, seguindo protocolos de planejamento e execução, não temos nada a preocupar, sem intercorrências. Os resultados saem previsíveis e seguros.

Mas e se, de algum modo errarmos? É possível a reversão? Como abordar? Nesta aula discutimos muitos pontos importantes sobre estes aspectos, e mostramos as abordagens ideias para evitar problemas…


Publicado por:
Mestre em Medicina/Cirurgia de Cabeça e Pescoço, Especialista em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial, Prótese Dentária, Prótese Bucomaxilofacial e em Harmonização Orofacial. Coordenador de cursos em Implantodontia e Harmonização Orofacial do Instituto Velasco, Diretor do Hospital da Face. Trabalha desde 2011 em harmonização facial.